Parábola do Trigo e do Joio: de que lado você está?

A Parábola do trigo e do joio é um alerta para nós que vivemos no Reino de Deus. Embora viver em comunidade seja um chamado do Senhor para nós outros, o inimigo de nossas almas tem suas estratégias para seduzir muitos fiéis a abandonarem a fé. Diante disso, como a parábola do trigo e do joio contribui com nossa vida cristã?

Neste ponto, as parábolas de Jesus trazem mensagens poderosas que são capazes de mudar nossa visão sobre a fé em Cristo. E àqueles que têm ouvidos abertos para entender a mensagem do reino de Deus, poderão ser transformados pelo ensino de Jesus. 

Se você quer entender o sentido mais profundo desta parábola, você tem em suas mãos uma explicação que vai te mostrar algo muito útil sobre o sentido desta mensagem. Vamos juntos? Então leia até o final.

LEIA TAMBÉM:

A Parábola do Trigo e do Joio: vamos ao texto bíblico

O texto referente à parábola está em Mateus 13:24-30. Primeiro, Jesus conta aos seus discípulos a história do homem que semeou o trigo, mas foi surpreendido por seu inimigo. Depois, Jesus fala que o inimigo semeou o joio, uma erva daninha semelhante ao trigo, mas que não produz frutos.

Depois, o Mestre conta que os servos do fazendeiro perceberam que o joio estava no meio do trigo. Mas o semeador decide esperar até a colheita para, assim, tirar o joio para não prejudicar o trigo. Acompanhe o texto abaixo: 

Jesus lhes contou outra parábola, dizendo: “O Reino dos céus é como um homem que semeou boa semente em seu campo. Mas enquanto todos dormiam, veio o seu inimigo e semeou o joio no meio do trigo e se foi.

Quando o trigo brotou e formou espigas, o joio também apareceu.

“Os servos do dono do campo dirigiram-se a ele e disseram: ‘O senhor não semeou boa semente em seu campo? Então, de onde veio o joio? ’

” ‘Um inimigo fez isso’, respondeu ele. “Os servos lhe perguntaram: ‘O senhor quer que vamos tirá-lo? ’

“Ele respondeu: ‘Não, porque, ao tirar o joio, vocês poderão arrancar com ele o trigo.

Deixem que cresçam juntos até à colheita. Então direi aos encarregados da colheita: Juntem primeiro o joio e amarrem-no em feixes para ser queimado; depois juntem o trigo e guardem-no no meu celeiro’ “. Mateus 13:24-30

Deste modo, depois de contar-lhes tal parábola, Jesus faz a interpretação da mesma e explica tudo aos seus discípulos.

O que Jesus nos ensina com a parábola do trigo e do joio?

O primeiro aspecto que Jesus nos ensina na Parábola, é que, aparentemente, não conseguimos saber quem são aqueles de fato são os filhos da luz e quem está na igreja apenas para semear o mal. Esse não é o nosso papel. 

Na verdade, o próprio Jesus nos mostra que muitos dizem “Senhor, Senhor”, mas não têm parte com ele. São como sepulcros caiados, com aparência de piedade, mas com coração desviado (Mateus 23:27). 

Desta forma, precisamos ser prudentes em nossa conduta e no relacionamento entre irmãos na fé. Na verdade, o joio só é reconhecido como erva daninha quando reparamos sua ausência de frutos. E para ver essa situação, só mesmo com a colheita. Ou seja, trigo e joio precisam crescer juntos na colheita até que, de fato, o joio seja arrancado.

Da mesma maneira funciona na comunidade cristã. Como igreja, convivemos com inúmeros irmãos na fé. Porém, todo cuidado é pouco com aqueles que não “produzem bons frutos”. Ainda não não podemos ser precipitados em dizer quem é quem diante do Senhor, nos cabe ser sábios e prudentes. 

Quando digo isso, não estou afirmando que devemos fazer uma inquisição na igreja para analisar aqueles que não produzem bons frutos. Pelo contrário, o único qualificado para julgar é o próprio Senhor da seara, Jesus Cristo.

Ou seja, nossa confiança deve estar firmada unicamente no Senhor. Muitos cristãos têm errado por entregarem suas vidas a líderes que usam de sua influência para maquinar o mal. Não percebem que suas condutas são vazias e suas palavras são desprovidas de uma vida condizente com o evangelho. Mas a parábola do trigo e do joio nos recomenda algo diferente. 

O cuidado com os maus líderes

Obviamente, temos que obedecer à Palavra de Deus, que nos exorta a sermos submissos a toda liderança instituída. Porém, a própria Bíblia nos ensina que importa, antes, obedecer a Deus que a homens. Portanto, devemos desconfiar daqueles que utilizam a Bíblia a seu bel-prazer buscando influenciar os outros a viverem um “evangelho” diferente daquele pregado por Jesus Cristo. 

Dentro da igreja, o joio sempre agirá em prol do poder, da glória humana e da frieza espiritual. São pessoas atraídas unicamente pelos interesses mundanos, sem preocupação com o sofrimento dos outros e com a prática do bem.

A parábola nos ensina algo sobre a justiça de Deus

Na verdade, a parábola do trigo e do joio também nos ensina sobre a justiça de Deus. A princípio, seria muito mais fácil se tirássemos o joio no meio do trigo por nós mesmos. Talvez, o semeador poderia tirar o joio antes mesmo da colheita, ainda que exista o risco de prejudicar o trigo.

Mas a justiça de Deus não é semelhante à nossa. O Senhor, no tempo certo, aplicará sua justiça. Diante disso, a parábola do trigo e do joio é um alento para nossa vida cristã, pois ela anuncia que Deus julgará àqueles que não pertencem ao seu reino. 

Desta forma, temos o duplo desafio de, por um lado, viver a vida cristã. De outro, conviver com inúmeras pessoas ao nosso lado que, possivelmente, não fazem parte da família da fé, sendo joio no meio do trigo.

Deste modo, nossa postura tem que ser de espera. Precisamos entregar a Deus nossa vida, e orar para que Ele mesmo efetue sua justiça sobre o joio. Na parábola, aprendemos que trigo e joio vão crescer e amadurecer para o tempo da colheita. Mas Jesus não explica o que seria esse amadurecimento e como isso será feito. E nós também não podemos interpretar algo que o próprio Jesus não nos mostrou.

Conclusão

O teólogo e especialista em Novo Testamento, Simon J. Kistermaker, nos ajuda a interpretar a parábola do trigo e do joio. Ele diz que a parábola põe em confronto o bem e o mal, sendo que o bem, no fim das contas, prevalecerá.

O autor também destaca que os servos do semeador refletem a impaciência de muitos cristãos no reino de Deus, que querem manter a pureza da igreja, mas acabam cometendo o erro de ceifar o joio.

Infelizmente, quando nos colocamos no papel de juízes, podemos prejudicar o trigo com o argumento de arrancar o joio diante de nós. Em outras palavras, a parábola do trigo e do joio nos ajuda a sermos pacientes em esperar a justiça de Deus, implacável ao ceifar o mal diante de nós.

Por fim, que Deus nos fortaleça e nos ajude a viver em comunidade, mesmo que o joio esteja diante de nós! Se você gostou deste texto, comente aqui embaixo!

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *