A parábola dos trabalhadores na vinha: uma lição sobre a graça de Deus

Você já parou para pensar que a graça de Deus é tão impressionante que é difícil de ser entendida? É isso que aprendemos com uma das histórias do Jesus, a Parábola dos trabalhadores na vinha. Esta parábola que Jesus contou para os discípulos é bastante ilustrativa no aspecto da grandeza do amor de Deus por nós, meros pecadores.

Se você quer entender o significado da parábola dos trabalhadores na vinha e qual a mensagem que esta história que Jesus contou traz para o mundo, me acompanhe neste texto!

Por que Jesus ensinou por meio de parábolas?

Antes de entrar na parábola dos trabalhadores na vinha, é importante entender porque Jesus contava histórias e explicava o reino de Deus através de parábolas.

Veja o que o próprio Cristo disse sobre seu ensino por parábolas:

De certa forma, o primeiro objetivo é bastante prático. Jesus, como um mestre em sua época, buscava simplificar sua mensagem por meio de ilustrações do cotidiano de sua época. Por isso, ele utilizava figuras e exemplos que as pessoas conseguiam identificar facilmente o que Ele queria dizer.

Mas não é só isso. Há outro elemento profundo em relação às parábolas. Veja o que o próprio Jesus disse sobre suas parábolas:

Quando ele ficou sozinho, os Doze e os outros que estavam ao seu redor lhe fizeram perguntas acerca das parábolas.
Ele lhes disse: “A vocês foi dado o mistério do Reino de Deus, mas aos que estão fora tudo é dito por parábolas,
a fim de que, ‘ainda que vejam, não percebam, ainda que ouçam, não entendam; de outro modo, poderiam converter-se e ser perdoados! ’” (Marcos 4:10-12)

Ou seja, nem todos que ouviam a mensagem de Jesus entendiam o conteúdo explícito em sua fala. Por esse motivo, as parábolas serviam para que os ouvintes que se interessavam pelo reino de Deus fossem alcançados por Jesus.

Porém, o contrário também é real. As parábolas confundiam aqueles que ouviam a mensagem, mas não faziam parte do povo de Deus. A parábola dos trabalhadores na vinha é um excelente exemplo da profundidade que Jesus passava por meio das parábolas.

Aparentemente, a história contada por Jesus era de fácil entendimento. Mas sua aplicação e interpretação dependia de um conhecimento mais claro do que significa a graça de Deus.

O que a parábola dos trabalhadores na vinha nos ensina?

No evangelho de Mateus 20:1-16 você encontra toda a narrativa de Jesus que simboliza a Graça de Deus.

O dono de uma vinha saiu e chamou trabalhadores para sua produção.

E ofereceu para eles um denário, salário significativo para um dia de trabalho. Os trabalhadores ficaram extasiados! 

Porém, faltando poucas horas para o trabalho acabar, o dono da vinha foi até a cidade e convocou mais trabalhadores. Quando o trabalho acabou, o dono distribuiu o valor combinado com todos os trabalhadores.

Mas o grupo que chegou cedo e trabalhou o dia inteiro se sentiu injustiçado. Afinal, como eles receberiam o mesmo do que os que chegaram por último? 

O dono da vinha foi taxativo: a produção é minha. Eu vou gratificar meus trabalhadores como quero. A aplicação de Jesus é: “os últimos serão os primeiros”. 

A parábola dos trabalhadores na vinha e a graça de Deus

Quantas lições poderemos aprender com esta mensagem na parábola dos trabalhadores na vinha? A primeira delas eu já adiantei pra você: nunca entenderemos a graça de Deus. 

E o que é a graça de Deus? De forma resumida, podemos dizer que a graça é “o favor de Deus para com os indignos”.

Por meio de sua vontade, Deus está disposto a nos perdoar e nos abençoar, apesar de não vivermos em retidão.

Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus ” (Romanos 3:23).

Portanto, visto que fomos justificados pela fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Por meio dele, também obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual nos encontramos, e nos regozijamos na esperança da glória de Deus. “(Romanos 5: 1-2)

Por outro lado, a nossa justiça humana é meritória. Trabalhou muito, ganha muito. Trabalhou pouco, ganha pouco.

Cada um recebe o que é merecido. É assim nosso conceito de justiça.

No vocabulário popular, a gente diz: “aqui se faz, aqui se paga”! A justiça de Deus não é assim. Até porque, todos merecem igualmente o inferno e todo o sofrimento decorrente do pecado. 

Portanto, somos pecadores e por isso, inimigos de Deus. A justiça plena seria simplesmente nossa condenação.

Mas a graça de Deus funciona de outra forma. Isso aprendemos na parábola dos trabalhadores na vinha.

A graça dele significa que Ele escolheu nos amar. E sua vontade é simplesmente soberana.

Não conseguimos explicar porque é assim, apenas o adoramos por sermos alvos pela graça de Deus.

O outro ensinamento da parábola dos trabalhadores na vinha é: sempre pensamos na “injustiça cometida” pelo dono da vinha contra os trabalhadores fiéis que chegaram primeiro. 

Mas não pensamos na misericórdia praticada com aqueles que chegaram por último. Certamente esses últimos eram pobres e também careciam de trabalho. 

O ato do dono da vinha foi de misericórdia com aqueles que eram carentes e necessitados.

Em outras palavras, Deus também nos amou e nos salvou mesmo nós sendo pecadores. Precisamos ao olhar para a parábola dos trabalhadores na vinha, enxergar a imensa graça de Deus em nossa direção.

A história do filho pródigo também nos ensina o mesmo

É algo semelhante à parábola do filho pródigo, lembra? Em João 15 você encontra toda a história de um filho que parece muito conosco, não acha?

O filho mais velho ficou revoltado com a demonstração de misericórdia do pai com o filho que saiu de casa e gastou a herança. O pai demonstrou misericórdia com aquele que estava perdido. 

Assim como na parábola dos trabalhadores na vinha, o senhor demonstrou interesse em praticar sua bondade com os trabalhadores que chegaram por último.

Por isso, Deus é gracioso e misericordioso. Não adianta tentar entender e comparar a graça de Deus com a nossa justiça.

O mais importante de tudo é: ele nos amou e nos escolheu mesmo sendo pecadores. Que nós também possamos praticar a justiça e a misericórdia. 

Assim como na Parábola dos trabalhadores na vinha o senhor provou sua misericórdia ajudando os trabalhadores que chegaram por último, nós também, que fomos alcançados pelo amor de Deus, temos que praticar a misericórdia com o nosso próximo.

O que você achou deste texto? Se gostou, compartilhe com alguém!

 

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *