Parábola do Rico Insensato: O Dinheiro Pode te Levar à ruína!

Se você quer entender a profundidade da Parábola do Rico Insensato, você precisa ler este texto. Com certeza a mensagem do evangelho vai tocar seu coração. Em diversas passagens dos evangelhos, Jesus fala sobre dinheiro, poder, ganância e solidariedade. E a parábola do Rico Insensato é um alerta para nosso modo de viver hoje.

Aqui no Blog Fé em Cristo temos diversos textos sobre a fé Cristã e sobre tudo que precisamos para viver a fé no nosso Senhor Jesus. Visite outras páginas do Blog e nos ajude, compartilhando este conteúdo com todo mundo!

Leia também: 

Por que Jesus contou esta parábola?

A parábola do Rico Insensato, narrada por Jesus, é motivada por um pedido de socorro. Um homem vai até Jesus e pede que Ele seja um juiz, ajudando a resolver um caso de família. Na verdade, esse homem queria que Jesus convencesse seu irmão mais velho a repartir com ele sua herança, uma vez que o pai dos dois havia morrido.

Deste modo, Jesus logo recursou o pedido do irmão mais novo. Talvez, a queixa do homem parecesse até legítima, mas Cristo não quis advogar a causa do moço movido pela avareza. Foi a partir disso que Jesus contou aos seus seguidores a parábola do rico insensato. Ele queria ensinar àquele homem que seu coração era ganancioso.

O primeiro ponto que Jesus quis destacar nesta parábola está no versículo 15 do texto de Lucas 12:

Então lhes disse: “Cuidado! Fiquem de sobreaviso contra todo tipo de ganância; a vida de um homem não consiste na quantidade dos seus bens”. Lucas 12:15

Em algumas versões da Bíblia, a palavra ganância é substituída por avareza. O que Jesus quis mostrar está claro no texto: a vida não se resume na quantidade de bens que a pessoa tem em sua vida. Pelo contrário, a ganância revela-se como idolatria, sendo um culto ao dinheiro em lugar do Senhor. 

Ou seja, a ver o coração daquele homem e que sua motivação maior na vida era a ganância, Jesus logo contou-lhes essa parábola, destacando que o contentamento com o que temos precisa ser maior que nosso desejo de possuir. Veja o que diz em 1 Timóteo 6:6-8: 

De fato, a piedade com contentamento é grande fonte de lucro, pois nada trouxemos para este mundo e dele nada podemos levar; por isso, tendo o que comer e com que vestir-nos, estejamos com isso satisfeitos.

O que diz a parábola do rico insensato?

Diante de seus discípulos, Jesus contou a história de um homem que, tendo acumulado muitos recursos com uma grande colheita, resolveu aumentar seus celeiros para usufruir sozinho de tudo que ele tinha, dizendo a si mesmo:

Você tem grande quantidade de bens, armazenados para muitos anos. Descanse, coma, beba e alegre-se’. Lucas 12:19

Ora, a princípio, querer viver dos seus rendimentos não poderia ser um problema para ninguém. Mas o rico insensato demonstrou grande egoísmo em querer apenas “viver para si mesmo”. Não há nenhuma indicação de que outras pessoas poderiam usufruir com ele toda aquela riqueza. Pelo contrário, o rico insensato queria tudo para si.

Em outras palavras, o fazendeiro rico não queria depender de Deus. Sua vida era boa demais com toda sua riqueza. Tampouco ele pensou em ajudar os mais necessitados. Tudo que ele queria era comer, beber e se alegrar. Tudo isso sem ajudar o outro ou dedicar qualquer parte de sua vida a Deus.

Desta forma, veja no vídeo abaixo uma representação de Jesus narrando a parábola:

https://youtu.be/clS8mji90nM

O rico insensato amava a si mesmo e as riquezas

O princípio básico daquele que serve a Deus é: “amar a Deus de todo seu coração e amar o seu próximo como a si mesmo”. O rico insensato, ao contrário, demonstrou apenas amor próprio, ao acumular riquezas nesta terra sem prestar contas a Deus e sem demonstrar misericórdia com os que sofrem. 

Da mesma forma, o rico insensato não demonstrou nenhuma gratidão a Deus pela colheita que o tinha enriquecido. Sua visão limitada mostrava apenas o resultado de seu próprio esforço, glorificando a si próprio ao invés de Deus.

Diante disso, na parábola, Deus intervém na vida do rico insensato, dizendo: “Contudo, Deus lhe disse: ‘Insensato! Esta mesma noite a sua vida lhe será exigida. Então, quem ficará com o que você preparou? ’ Lucas 12:20

Desta forma, o homem quis usufruir de toda sua riqueza, mas naquela noite, ele morreria. Todo esforço foi por “água abaixo”. O apóstolo Tiago também nos ensina algo que tem total ligação com o ensinamento de Jesus nesta parábola. 

Ouçam agora, vocês que dizem: “Hoje ou amanhã iremos para esta ou aquela cidade, passaremos um ano ali, faremos negócios e ganharemos dinheiro”. Vocês nem sabem o que lhes acontecerá amanhã! Que é a sua vida? Vocês são como a neblina que aparece por um pouco de tempo e depois se dissipa. (Tiago 4:13,14)

Qual a mensagem da parábola do rico insensato?

Diante disso, precisamos pensar “onde está o nosso coração”: no dinheiro e na esperança de viver de lucros, ou nossa vida está nas mãos de Deus?

Ora, a riqueza não é um problema em si. Jesus, nesta parábola, não combateu os rendimentos do rico, mas sim a sua insensatez, de querer viver das riquezas, esquecendo-se do seu criador.

Como nos mostra Simon Kistermaker em seu livro sobre as parábolas de Jesus, “o homem deve compreender que Deus é o dono de sua grande criação, e que colocou o homem como despenseiro do mundo que criou. E como tal, o homem deve prestar contas a Deus”. 

Enquanto vivermos neste mundo, precisamos de viver para a glória de Deus. E se temos dinheiro ou qualquer bem, que ele seja para a glória de Deus. Devemos, acima de tudo, demonstrar gratidão ao Senhor por tudo o que ele nos dá. 

Desta forma, a parábola do rico insensato nos ensina a abrir mão de nossa ganância, pois não sabemos o dia de amanhã. Acumular tesouros nesta terra sem se preocupar com os necessitados, é um grande erro. Nosso foco, antes de tudo, precisa ser com o reino de Deus. 

Após contarem essa palavra, Jesus ensina a seus discípulos a viver sob a dependência de Deus, sem focar duas preocupações com o sustento. Ele disse: 

Dirigindo-se aos seus discípulos, Jesus acrescentou: “Portanto eu lhes digo: não se preocupem com suas próprias vidas, quanto ao que comer; nem com seus próprios corpos, quanto ao que vestir. A vida é mais importante do que a comida, e o corpo, mais do que as roupas”. Lucas 12:22,23

Precisamos buscar primeiro o reino de Deus

Portanto, depois da parábola do rico insensato, a mensagem de Jesus foi muito clara aos seus discípulos, chamando-os à dependência de Deus e ao desprendimento deste mundo, veja: 

“Não busquem ansiosamente o que hão de comer ou beber; não se preocupem com isso.

Pois o mundo pagão é que corre atrás dessas coisas; mas o Pai sabe que vocês precisam delas.

Busquem, pois, o Reino de Deus, e essas coisas lhes serão acrescentadas Lucas 12:29-31”. 

Ou seja, buscar o Reino de Deus, antes de qualquer outra coisa, precisa ser a prioridade na vida do cristão. As outras coisas – trabalho, dinheiro, bens etc – devem ser secundárias diante da centralidade de Deus em nossa vida.

O próprio Jesus disse que, ao priorizarmos o reino de Deus, essas coisas serão acrescentadas. Quando confiamos que o Senhor é quem supre todas as nossas necessidades, nossa preocupação com as coisas deste mundo torna-se menor. 

Que Deus nos ajude a priorizar o seu reino. Que a parábola do rico insensato seja um alerta para nós, sendo nossa vida centrada no reino de Deus e sua justiça, longe de toda avareza e ganância.

 

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *