Paixão de Cristo na Bíblia: o sofrimento de Jesus na Cruz foi por você

Eu sei que você sabe: a paixão de Cristo na Bíblia tem um significado central, pois resume de forma simples o amor de Deus por nós. A paixão de Jesus na Bíblia se refere a todo o período de sofrimento do nosso mestre no momento anterior à sua crucificação.

Antes do tormento da cruz, Jesus foi com seus discípulos para o Jardim das Oliveiras. Seu objetivo era orar, refletir e se preparar para o tormento da morte.

Enquanto o mestre agonizava, seus discípulos cochilavam e, para piorar, os soldados chegaram e prenderam Jesus, acusado de agitador e blasfemo.

O que diz a Bíblia sobre a Paixão de Cristo?

A paixão de Cristo na Bíblia não se refere apenas ao sofrimento antecipado pela morte, mas o carregamento do peso do nosso pecado.

Em Isaias 53:4, diz sobre Jesus: “Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças, contudo nós o consideramos castigado por Deus, por ele atingido e afligido”.

O sentido do sofrimento de Jesus mostrado nos evangelhos, refere-se exatamente ao peso do nosso pecado que foi carregado por Ele.

Além disso, o julgamento dEle foi injusto, sendo o próprio Cristo acusado de blasfêmia e condenado como um verdadeiro criminoso.

No sinédrio, fora interrogado pelo sumo-sacerdote e, sem dar uma palavra, ouviu mentiras e acusações.

Apenas quando foi questionado por ser o Filho de Deus, Jesus confirmou as palavras de Caifás.

Pronto! Isso foi “suficiente” para o veredito! E por isso, Jesus foi levado ao governador Romano.

Entre o encontro com Pilatos e o julgamento de Herodes, Jesus volta a ficar calado. Desta forma, o silêncio de Jesus também faz parte do seu sofrimento. Ter sido ultrajado sem dar nenhuma palavra demonstra a força de Jesus diante da fragilidade de sua humanidade.

Desta forma, a paixão de Cristo também envolve o silêncio do Mestre, que mesmo sendo Deus, assumiu a figura de servo.

E justamente esse comportamento desorientou Pilatos, que não conseguia enxergar culpa nEle.

“Se soltas a este, não és amigo de César! Todo aquele que se faz rei é contra César!” ( Jo 19.12).

A paixão de Cristo na Bíblia e a condenação de um inocente

Entre açoites e o carregamento da cruz pesada, a paixão de Cristo na Bíblia tem um significado doloroso, que envolve sangue, dor, lágrimas e muito sofrimento.

O castigo de tortura foi cruel. Não bastasse os açoites, os romanos resolveram humilhar o condenado, colocando sobre sua cabeça uma coroa de espinhos.

O próprio Pilatos, que condenou Jesus à morte, reconhecer que Ele era inocente: “Vocês me trouxeram este homem como alguém que estava incitando o povo à rebelião. Eu o examinei na presença de vocês e não achei nenhuma base para as acusações que fazem contra ele. (Lucas 23:14)”.

A paixão de Cristo na Bíblia representa a imagem de um inocente que foi condenado pelos pecados que o mesmo não cometeu.

E a caminho do pretório até o ao calvário torna-se o ponto alto da paixão de Cristo na Bíblia.

Afinal, na estrada até a morte, Jesus carregou sobre si o peso do madeiro, mas acima de tudo, Jesus sentiu toda a carga do pecado e miséria humana.

Nada poderia ser tão cruel para o nosso Mestre. A vida de Jesus nesta terra envolveu intimidade com Deus, serviço ao próximo e a prática da bondade. Até então, Cristo não havia cometido pecado algum. Mas ao carregar sobre si as nossas transgressões, Jesus sentiu o peso do desprezo de Deus pelo pecado.

Na Cruz, Jesus sentiu o desprezo do Pai. 

paixão de cristo. Cruz, coroa de espinhos e pregos

Na verdade, como afirmou Paulo, na crucificação, “Ele se tornou pecado (2Co 5.21)”.

Certamente, o momento mais forte do cenário da morte de Cristo é justamente o sentimento de desamparo de Jesus em relação à Deus, o Pai. 

Eu não sei o que significa isso na prática, mas o abandono de um filho em relação ao seu pai é certamente uma das experiências mais traumatizantes na vida de um filho.

E na paixão de Cristo, vemos a humanidade de Jesus abalada pelo pecado. Sendo assim, o Filho de Deus sentiu-se distante do Pai, ao perceber que a carga da maldade estava sobre ele.

“Eli, Eli, lamá sabactâni?”, em aramaico significa: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”

A paixão de Cristo na Bíblia representa a antecipação deste momento. Jesus Cristo, aquele que era um com o Pai, que vivia em comunhão constante e inseparável com Deus, agora se vê distante.

Tudo isso, toda dor, todo desamparo, todo sofrimento… foi por você! O sentido do sofrimento e da paixão de Cristo antes da cruz traz à tona o amor incondicional de Jesus por nós, pecadores. 

Esse é o significado da paixão de Cristo e de sua crucificação. Um inocente tomou o lugar dos pecadores e sentiu literalmente na pele o que significa estar afastado de Deus.  

Portanto, Jesus cumpriu toda a profecia do antigo testamento. E se tornou a representação do cordeiro que, sendo morto, carregou o pecado da humanidade.

Ele morreu, e agora?

Sim, amigo (a), Jesus morreu e se entregou por você. Mas ele não foi derrotado pelo pecado e a morte.

O melhor estava por vim! No terceiro dia ele ressuscitou. E ainda vive e reina!

A paixão de Cristo na Bíblia representa a humanidade de Cristo em seu momento de maior fragilidade. Mas a morte de Jesus não é um fim em si mesmo. O mesmo que carregou sobre si os nossos pecados, venceu as trevas.

O significado da paixão de Cristo, da sua crucificação e morte se completam por meio da sua ressurreição. Ele morreu para nos reconciliar com Deus. Ou seja, Ele morreu para que tivéssemos vida, a vida eterna!

Aleluia!

Você gostou do texto? Compartilhe com alguém!

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *